terça-feira, 29 de maio de 2007

Mariana Aydar

Por conta dos meus compromissos profissionais (leia-se a eterna procura de boas pautas num mercado que está cada vez mais escasso), não consegui atualizar este blog como ele merecia. Mas vamos ver se recupero o tempo perdido. Começo falando de Mariana Aydar, cuja apresentação eu assisti no dia 04 de maio, sexta-feira, no Auditório Ibirapuera.
Para início de conversa, acho Mariana Aydar um dos melhores talentos da nova geração de cantoras que invadiu o mercado nos últimos anos. Primeiro, canta que é um absurdo. Tem voz grave, empostada, feita para deitar e rolar em sambas da velha guarda - o que ela faz muito bem, visto que seu disco de estréia, Kavita 1, tem composições de Leci Brandão (Zé do Caroço) e uma bela parceria de Eduardo Gudin e Paulo César Pinheiro (Maior é Deus, cantada por Beth Carvalho, aquela senhora que tungou alguns milhares dos cofres públicos para gravar um DVD na Bahia). Segundo, Mariana não se tornou escrava da música eletrônica. Em seu disco, as programações são muito mais um acessório do que uma muleta - ao contrário do que acontece nos trabalhos de artistas como Céu, que se tornou refém do DJ e do computador. Kavita 1 tem um barulhinho aqui e acolá, mas não corre o risco de dominar o CD e torná-lo datado.
Por fim, Mariana Aydar tem outro atrativo. Mas este só é perceptível ao vivo. Ela é um charme. Tem presença de palco, move-se com graça - e olhe que estou falando do Auditório Ibirapuera, um local que costuma deixar artistas intimidados - e sabe encantar uma platéia. Quem a assistiu desfiar as músicas de Kavita 1 ao lado de releituras para composições de Leci Brandão (Deixa o Menino) e Camilla (1,2,3) conferiu uma artista madura, pronta para o estrelato. O único senão fica por conta do excesso das declarações de amor a Duani, instrumentista e marido de Mariana Aydar. Pessoalmente, acho que deve existir uma divisão entre o lado pessoal e profissional. O amor é lindo, o rapaz é um músico excelente, porém não precisava repetir o dengo de cinco em cinco segundos...

3 comentários:

pena disse...

Caro Sérgio
Se seus leitores quiserem conferir, vários videos da Mariana Haydar no Auditório Ibirapuera estão no youtube, basta uma procura por "auditório ibirapuera mariana".
Em todos os dias foi emocionante o dueto com Leci Brandão.
Apareça mais vezes, os artista costumam superar com brio o tamanho do palco, impulsionados pela proximidade e calor da platéia.
Abraços.

Sergio Martins disse...

Pena, eu adoro ir ao Auditório Ibirapuera. Gosto do clima, do público e acima de tudo acho um belo lugar para se ouvir música de qualidade em São Paulo. O que me espantou na Mariana Aydar foi ver a menina encarar aquela platéia imensa e não tremer. Creio que ela tem meio caminho andado para se tornar uma grande artista, certo?

Mariana Shitz disse...

Adoro a Mariana Aydar, sua música é calma e ao mesmo tempo contagiante. SAua personalidade é forte, mas me parece uma pessoa muito sensível!! Não abro mão da boa música e acho que artistas como Mariana deveriam ser muito mais valorizadas. Bjs...
Vivian