segunda-feira, 29 de março de 2010

Bobagens que escutei

Em vinte anos de jornalismo, escutei muitas bobagens vindas de editores, repórteres e críticos de música. Vamos a algumas delas:

"E por acaso o nosso público gosta de heavy metal?"
(de uma antiga editora minha do Notícias Populares, quando apresentei uma pauta sobre o Sepultura. Foi uma das matérias mais lidas e comentadas da edição e motivou a criação de uma coluna sobre heavy metal, assinada pelo Ivan Miziara).

"Nosso público é preto, feio e pobre. Não quer ver pretos feios e pobres como abre de matéria."
(de outro editor do NP, quando sugeri uma capa dos Racionais MC's. Eu tinha assistido o grupo se apresentar mais para de 6 000 pessoas na quadra da Rosas de Ouro. Era lançamento do disco Raio X Brasil, o melhor deles).

"Cara, eles se vestem de Chapolim! Desse jeito, não vão a lugar algum!"
(de um companheiro meu de trabalho na BIZZ, após assistir ao Mamonas Assassinas. No ano seguinte, ele apostou que o grande sucesso da temporada seria o Maria do Relento. Como todos sabem, ninguém conhece o Mamonas e o Maria do Relento vendeu milhões de cópias).

"Olha, acho que já demos rap demais."
(de outro ex-editor, quando sugeri uma matéria sobre Smokey Robinson. Cinco minutos depois, acertei a minha saída de onde eu trabalhava).

2 comentários:

Fábio Martins disse...

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

SENSACIONAL!!!!!

QUEREMOS MAIS!!!!

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

n disse...

é realmente incrível!TEnho alguma pérolas ...comigo coleciono alguns atestados de óbito,eh eh eh