quarta-feira, 14 de fevereiro de 2007

Soul Plastificado

Dreamgirls - Em Busca de um Sonho é a história da gravadora Motown disfarçada com música de qualidade discutível, personagens simpáticos demais e interpretações de quinta categoria. O filme narra a ascensão das Dreams, grupo vocal formado por Deena Jones (Beyoncé, despida de sensualidade e com carisma zero), Effie (Jennifer Hudson, concorrente do concurso American Idol) e Lorrel Robinson (Anika Noni Rose). Todas são lindas, fofas e sonham em ver sua música cantada por milhões de americanos. A amizade entre as moças entorna quando Effie, a melhor cantora do trio, é posta de lado para que Deena seja alçada à posição de estrela. A princípio, ela concorda com a decisão. Porém, tempos depois, tenta ganhar a posição de líder literalmente no grito e acaba expulsa do grupo. As conseqüencias, como diria Bento Carneiro, o vampiro brasileiro, "serão maligrinas".
Quem conhece um pouco de soul music sabe que essa história aconteceu com as Supremes, principal grupo feminino da Motown. Berry Gordy Jr., o dono da companhia se enrabichou com Diana Ross e a alçou à posição de líder do trio. A ingerência de Gordy deixou Florence Ballard, teoricamente uma cantora mais bem equipada do que Diana, tiririca. Flo, como era conhecida, peitou Diana e Gordy publicamente, foi demitida e perseguida pelo dono da Motown - que chegou a pagar aos programadores de rádio para que não tocassem os discos solos de Flo. A vocalista se afundou em drogas e álcool até morrer, em 1976, na mais completa pobreza. Diana Ross tentou comparecer ao enterro da ex-amiga e foi mais vaiada que a zaga atual do Palmeiras.
Mas quer saber? Dreamgirls é uma bobagem. Primeiro porque parte daquela história surrada de que Florence Ballard era melhor do que Diana Ross. Flo podia até ter melhores qualidades técnicas, mas Diana tinha o que os americanos chamam de "star quality". Era carismática, charmosa, cantava bem e sabia como encantar tanto as platéias brancas quanto as negras. Flo era "apenas" uma artista, mas Diana Ross era "A" estrela. Ponto. O resto é conversa de gente que não conhece a história da Motown. Tem dúvida? Veja aqui (http://www.youtube.com/watch?v=4d0Uc8vDoSo). Para piorar, os personagens são tão bonzinhos, tão sem sal que até parece que a Motown foi criada por um bando de freiras. O que está muito longe de ser verdade.
As interpretações também não são essa Coca-Cola toda. Beyoncé é uma lástima, Jennifer Hudson parece saída de um concurso de imitadoras de Aretha Franklin e mesmo Eddie Murphy, tão elogiado, repete cacoetes de seus sketches do Saturday Night Live (aqui, ó http://www.youtube.com/watch?v=2C2RhoTvzdQ). James Thunder, o tal cantor que ganhou vida na voz e interpretação de Murphy, às vezes parece saído do quadro James Brown's Hot Tub. Por incrível que pareça, quem se sai bem na fita é Jamie Foxx. Ele é o Berry Gordy cover. Comete as maiores sacanagens e estripulias como se fosse a coisa mais normal do mundo. O personagem de Fox, aliás, justifica as patifarias que comete dizendo que faz "pela família" e "pelo bem do povo". E às vezes a gente até acredita. Como naquela cena em que ele se reúne com as Dreams e fala "nunca, na his´tória desse país.. Ué, será que José Dirceu e Lula assistiram a Dreamgirls?

7 comentários:

Liv disse...

Sensacional! Beyoncé pagando de mocinha recatada não convence nem os pais religiosos.

Bem vindo ao mundo dos blogs!

Henrique disse...

Ouvi a trilha. Salvo uma ou duas músicas é uma xaropada.

Pelo trailer o filme segue a mesma linha. mas enfim com Beyoncé na tela não posso fugir. rsrs

Henrique

Luiza disse...

Porra mestre, e eu que estava doido para ver o filme até desanimei...

Luiza disse...

Porra mestre, e eu que estava doido para ver o filme até desanimei...

Osorio disse...

Grande Sérgio!! Finalmente o blog hein? Acho que vou ver esse filme de qualquer forma. Abração!!

Luiz disse...

dá-lhe sergio. abraços, luiz pimentel

Jonas Lopes disse...

Eu bem que estava estranhando tanta gente levando o Eddie Murphy a sério.